Resumo do 5º Encontro de Reflexão Barquinho

Fé Pública e Contexto Africano

Resumo do 5º Encontro de Reflexão Barquinho

Fé Pública e Contexto Africano

O que é Fé Pública?

É um termo praticamente estranho à teologia, até recentemente. Do ponto de vista da epistemologia dos conceitos na pesquisa académica, fé pública é um termo especializado do direito. Designa a credibilidade que todo o agente público (servidor do Esta

do) tem, constitucionalmente, para praticar actos que ajudam a regular ou legalizar o funcionamento da sociedade. Certamente, não é disto que se trata nesta conversa, principalmente pelo facto de se circunscrever no contexto da fé evangélica.

Por esta razão, e neste contexto, o termo “fé pública” pertence ao domínio da teologia pública.

Grosso modo, diz respeito as preocupações combinadas sobre fé, política e bem comum. Lida essencialmente com a busca incessante por entender os dilemas da fé em meio à sociedade contemporânea (neste sentido como uma versão mais atual das teologias da secularização, do processo, da esperança, da teologia negra, da teologia da libertação, etc., só que mais científica e menos pastoral).

Fé pública tem a ver com a relevância púbica da espiritualidade cristã (qual é?) no contexto da vida (sitz im lieben); tem a ver com a relação entre fé cristã e ação política (como?).

Do ponto de vista académico, e histórico, claro, a noção de fé pública pode ser associada ao pensamento recentemente desenvolvido por alguns estudiosos cristãos que se preocuparam e se preocupam com a presença da igreja no mundo, em que a vida em sociedade é constantemente (se não permanentemente) assolada por dilemas económicos, políticos, culturais, sociais, etc., que até certo ponto ofuscam a mensagem do Evangelho.

A luz da centralidade da Bíblia na teologia desenvolvida no nosso continente, e da Afro centralização da teologia desejável para a igreja africana, tenho defendido como fundamental reconhecer um papel sociopolítico da fé, que a grosso modo podemos definir como “Ler a Bíblia na perspetiva da africanidade (o pessoal da diáspora chama isto de afrocentricidade da fé cristã).

Por: Dr. Zakeu A. Zengo (Pastor e Professor)

Partilhe este artigo